segunda-feira, 6 de setembro de 2010

jogos e escolhas


eu queria poder te contar as coisas que se passam aqui por dentro de mim. Os meus sentimentos, os meus medos e incertezas. Queria poder olhar nos teus olhos e sentir que você que ama, sem duvidas, sem meio-termo. Queria fazer essa angustia passar, desabafar nos teus braços e contar-te meus maiores segredos. Meus olhos se enchem d'água, meu coração parece estar entre cordas, apertado, amarrado. Nada do que eu faço muda essa sensação. Me falta a oportunidade, ou melhor, me falta a coragem necessária pra por na mesa essa confusão e por cada carta em seu devido lugar. Isso não é um jogo, não existem cartas marcadas, nada é premeditado. Mas eu preciso sim expor as coisas, as cartas. E pra falar a verdade, penso comigo mesma se você não encara isso como um jogo, não de cartas, mas de desafios.
Se você ganha, eu perco. Se eu ganho, você ganha também. Todas as opções lhe são favoráveis. Eu, ao menos uma vez, quero ter a sensação de que você me tem como prioridade e que eu sou muito mais do que alguém com que você pode sempre contar, independente da situação. Não quero mais ser uma opção, uma válvula de escape nos momentos ruins.
Poder me permitir ser envolvida pelos seus braços e ficar horas olhando dentro dos seus olhos, sem medo daquele silêncio constrangedor. Seria perfeito! Te fazer carinho sem medo de uma interpretação errônea e ter a insegurança de que isso pode fazer com que você se afaste mais ainda de mim.
Me pergunto as vezes se o que sinto é real, se é amor. Penso, sofro, choro e chego a triste conclusão de que é e sempre foi amor. Um amor mal amado, mal interpretado, pouco demonstrado, pouco "sentido" até, eu diria. Amor, quando é de fato amor, tem que ser falado, tem que ser sentido, demonstrado; não precisa ser gritado, escandalizado, banalizado, isso jamais. Basta ser exposto de maneira discreta, sem grandes alardes. Só eu e você, pra que mais? Pra mim é o número exato, eu, você e Deus. Três que se transformam em um, perfeito!
Um dia eu espero que você leia tudo isso e saiba que é de você e com você que eu estou falando. Necessito com urgência que você entenda tudo isso da maneira mais clara possível. Que perceba que o que eu sempre quis pra mim, era e é você. Nossos planos, mesmo que distorcidos por criações diferentes, sempre foram os mesmos.
O pior é que você não se abre, não se dá essa oportunidade. Se proteger é uma coisa, se fechar pro mundo, é outra completamente diferente. Riscos são inevitáveis nessa vida. Erros meus me trouxeram aqui, me fizeram ser o que sou hoje, e não me arrependo de nada. Me fizeram ser alguém melhor. Tenta, ao menos uma vez. A vida é feita de escolhas, e espero que você faça a certa. Ganhar ou perder, não é o que importa agora.


4 comentários:

Natália disse...

Eu também me senti assim, tive todas essas vontades, achei que não fosse passar. Mas felizmente o tempo amenizou e cicatrizou as feridas...

Beijo

Camila Paier disse...

Como disse a menina aí de cima, o tempo tem sido um amigo bom, uma companhia agradável. E sinceramente, não sei tu, mas eu sou PÉSSIMA em jogos amorosos. Uma constante perdedora, isso sim! Hahahaha
Beijoca, flor.

Ariana disse...

"Queria poder olhar nos teus olhos e sentir que você que ama, sem duvidas, sem meio-termo."

Me emocionei com esse texto,sério.
Sei muito bem como é se sentir assim, ja passei por tudo isso que tu escreveu!
Mais não tem nada melhor que o tempo, ele vai trazer todas as respostas que você precisa!


Beijos

Natasha Knorst disse...

Oi querida, selo pra você no meu blog *:

Related Posts with Thumbnails
Licença Creative Commons
This obra by Camila Milano is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Compatilhamento pela mesma licença 3.0 Unported License.
Based on a work at camilamilano.blogspot.com.