quinta-feira, 26 de agosto de 2010

meios sorrisos


Saí no meio da tarde, sem rumo certo. Me conformar não é mais uma opção, ou me conformo, ou me conformo. Espernear feito criança não vai me adiantar nada, chorar desconsolada, menos ainda. Só vou me desgastar, e nada vai mudar. Tudo o que penso a respeito da distância me massacra a cada minuto que passa e faz com que me aproxime mais e mais da derradeira hora, a hora de mais uma partida. Nada é válido quando se trata de amor e saudade? Mas é claro que tudo é válido, desde que eu não passe por cima dos sentimentos alheios e do meu amor próprio.
Andando devagar pela rua, me vi num turbilhão de sentimentos, e o que eu mais queria era me alimentar da presença dele, aquela presença que tanto esperei e que pouco senti. Mas nada na vida é como eu quero ou espero. Parte do meu sorriso me foi tirado com a mesma velocidade que me foi dado. O sorriso largo já não brilha tanto, já não é o mesmo, eu não sou amesma.
Olho pro relógio e tento não sofrer por saber que esse é o nosso "ultimo encontro". Odeio despedidas, e só de pensar novamente que vou ficar mais 2 meses longe de você, me dói o peito, e a lágrimas imediatamente vem aos olhos. Penso que pouco fiquei contigo e que hoje você é muito mais do mar do que meu. Passa mais tempo sobre as águas nada calmas de oceanos medonhos do que envolvido pelos meus braços cheios de amor e carinho. Não sou egoísta, mas essa divisão tem sido muito desproporcional.
Agora meu maior desejo é correr de encontro ao teu abraço apertado, e pedir que fique comigo até o navio sair novamente.
Chegando perto da lagoa, levada como que automaticamente para aqueles cantos, me vi próxima a da casa dele, e logo reconheci seus olhos negros a me observar. Olhos que sorriam por me ver, por encontrarem em mim um porto seguro para se abrigarem. Segurei sua mão e subimos até o telhado, como que pra nos refugiarmos desse mundo sofredor e cruel.
Deitei nos seus braços e ficamos conversando horas a fio. - Eu estive assim com tantos outros antes de você, mas eu sinto como se fosse a primeira vez. - Eu lhe disse com uma parte de sorriso que ainda tinha em mim.
Ele veio mais perto, passou a outra mão em torno do meu corpo e me beijou delicadamente, num fim de tarde perfeito, mesmo com tantas adversidades.
Tempo, seja meenos cruel com esse pobre coração cansado de sofrer, eu não quero bater de frente contigo, peço apenas que passe logo e me faça sorrir um sorriso completo de vez.

beijos, amor.

3 comentários:

Poly disse...

É,mas dois meses...Vai passar rápido (yn)
É bom ler os seus textos Camila,é como se descrevesse um pouco do que sinto,não só eu né,mais como mtas boyzinhas se sentem....
O blog ta perfeitooo*-*
Parabéns...
bjss

Emi disse...

Ahh, gostei muito!!
Aliás, seu blog é muito lindo, tudo por aqui!
*-*
Beijos!

Ariana disse...

"Mas é claro que tudo é válido, desde que eu não passe por cima dos sentimentos alheios e do meu amor próprio. "

E você esta certissima!
Muito linda essa carta, bem escrita, seu namorado deve ter ficado emocionado, e tomara q o tempo passe logo!


bjos

Related Posts with Thumbnails
Licença Creative Commons
This obra by Camila Milano is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Compatilhamento pela mesma licença 3.0 Unported License.
Based on a work at camilamilano.blogspot.com.